Mudança Radical! – Márcia Morais

Oi, gente!

Não vou me estender muito, porque o próprio depoimento fala por si. Vejam só:

“Olá, people!
Vi a postagem e resolvi falar um pouco sobre a minha transição, que foi mais do que a mudança de visual, mas um redescobrimento de mim mesma.
Eu alisei meu cabelo com produtos químicos e chapinha dos 8-9 (!) até os 20 anos – hoje eu tenho 22 -, passando por aquelas famosas tardes 
de domingo onde minha mãe passava produtos no meu cabelo, pelos salões que prometiam me ‘dar vida nova’ com o formol de progressivas e similares, 
guanidina (meu cabelo quase caiu) e, por fim, fiquei só na chapinha, e foi quando tive o ‘start’ do que passava para ser mais aceita socialmente. 
As pessoas ao meu redor me incentivavam muito a alisar o cabelo, inclusive na família, e durante toda minha vida passei por vários constrangimentos por não ter um padrão que não condiz com minhas raízes. 
O racismo passou por mim de várias maneira, mas foi por causa do cabelo que mais sofri com o preconceito das pessoas – e foi através das minhas madeixas que comecei a me enxergar como negra
e a perceber o processo pelo qual havia passado – queriam me embranquecer e eu estava seguindo as regras desse jogo perverso, mas já era hora de virar a mesa e ser eu mesma!
Fui parando de usar química no cabelo no fim de 2008, na intenção de voltar ao natural devagarinho. Eu tinha o cabelo abaixo da cintura e todos achavam lindo o meu lado ‘índia’. 
Quando, em dezembro de 2010, vi que ele tinha chegado numa altura boa (pelo ombro), eu cortei bem curtinho. As reações foram as mais diversas: algumas pessoas acharam que eu tinha enlouquecido, outras adoraram o visual novo. Eu cheguei em casa e fiquei o dia inteiro me olhando no espelho, sentido os meus cachos que foram reprimidos por tantos anos. Ainda tem gente que não entende – minha mãe, por exemplo, vive querendo me convencer a ‘abaixar’ o cabelo, sem compreender que, quanto mais alto ele fica, mais feliz e orgulhosa de mim mesma eu estou! – o que essa transição significa pra mim. 
Mas eu explico, mil vezes se necessário, o quanto é importante me manter crespa e não ceder aos ‘encantos’ do alisamento (confesso que era beeem mais simples ser alisada, mas não troco minha jubinha linda por nada!).
Espero ver cada vez mais crespas e cacheadas por onde andar. Recomendo às minhas amigas e às mulheres em geral que assumam sua naturalidade, que vivam a negritude por inteiro.
Eu não julgo quem prefere alisar o cabelo, mas quase sempre isso significa que a pessoa está vivendo sob a mesma lógica a qual eu me encontrava – submissão à estética branca e constrangimentos por não ser o que os outros esperam de nós. Só tenho a agradecer ao Movimento Negro, que me ajudou a abrir (ainda mais) os olhos e me enxergar por inteira, sem máscaras.
E viva a nossa negritude!”

2

3

 

1

 

 

Não disse que eu não precisava falar muito? Vocês são DEMAIS!

Todo o carinho,
Babi

Anúncios

19 comentários Adicione o seu

  1. Emília Monteiro disse:

    Você é linda com suas madeixas cacheadas Márcia! 🙂

  2. Rio Sul disse:

    Oi, gente
    Estou com um grande problema.
    A mim me passa como à muitas da minha geraçao que sempre alisaram o cabelo e agora deram um basta ao cabelo liso.Resulta que meu cabelo é crespo fininhobem de sarará,nao é bem cacheado porque esta curtinho, porque esta em um processo de crescimento.Gostaria de nao usar quimica nenhuma.Gostaria de usar-lo cacheadinho desde o curto que estou, como posso fazer? pois ele é um crespo, indefinido, pois nao fica crespinho e tampoco fica londuladinho, na verdade nao sei como explicar-lo.Ele é muito seco , faço muita hidrataçao, humectaçao com oleos vegetais,,etc… mas infelizmente nosso cabelo afro é muito ressecado desde a raiz.me ajudem como posso cambiar este visual, sem ter que usar quimica nenhuma.Andei tentando fazer os Big shop, resulta que nao me funcionou, ou nao soube fazer por ser muito fino e curto creio eu,

    1. Oi, Lucy!

      uma coisa: você não é Brasileira, é?
      Esse português me parece de Portugal!

      Então… nosso cabelo é ressecado mesmo. Mas isso você só vai mudar com hidratação!
      Você já viu a transição da Rachel aqui no blog? O cabelo dela também é super seco e hoje ela conseguiu definir os cachos. E olha que o cabelo dela é 4C, super crespo!

      Começa a seguir o cronograma e depois me diz, ok?

      Um beijo!

  3. Aline Lobo disse:

    Adoooooooorei o fato de você ter assumido os teus cachos! São lindos e por isso estou totalmente de acordo que a gente tem que assumir a nossa negritude mesmo e isso pode começar a partir do cabelo que é uma das coisas que mais nos caracteriza por serem crespos. É por essas e outras que digo: amo os meus cachos *-*

    1. Muito bem, Aline! Arrasou!

      Super Beijo!

  4. Viviane disse:

    Seu cabelo é lindo!!!!!!!!!

    1. Márcia Morais disse:

      Obrigada!!! =)

  5. Eloah Etél disse:

    Estou no mesmo processo que vc. O meu estava abaixo da cintura também. Mas sempre gostei dos meus cachos. O problema são as cabeleireiras que não tem compromisso com a profissão e que para elas também é muito mais fácil fazer um alisamento do que tratar um cabelo como o nosso, grande e denso. Ver você fazer isso me dá ainda mais forças pra encarar o processo. Porque por enquanto, como ainda tem a bendita da progressiva, vivo tendo que escovar!!! aaaafffff

  6. Cássia disse:

    Show de Black!!! Eu também resolvi assumir o meu crespo e gente… é uma força impressionante que nos dá. Hoje eu sinto que “ninguém me pega”, kkkkkkkkkkkk. É muito show!!! Só quem tem um black sabe a força e o poder que ele significa!!

  7. Eliana Dias disse:

    LInda….é preciso coragem e principalmente maturidade para mudar. Viva nossos cabelos crespos e lindos!

  8. Silvia Vieira disse:

    Amei o seu depoimento. Eu sou branca de olhos azuis e nem por isso deixei de sofrer os mesmos preconceitos que você sofreu por conta do meu cabelo. Recebi diversos tipos de apelidos desde a creche, depois na escola. O tempo todo falavam sobre a minha aparência, que eu era feia demais. E então minha mãe começou também a alisar meu cabelo mais ou menos aos 10 anos. Alisei até os 26 anos, acreditando que todos os outros estavam certos e eu quem estava errada. Agora fazem 2 anos que não passo nenhum tipo de alisamento. Finalmente assumi meus cachinhos e posso dizer que sou muito mais feliz e orgulhosa de quem eu sou. É como você disse, não é simplesmente uma transição, é uma mudança que começa de dentro para fora!
    Parabéns para nós, que somos felizes por sermos assim, crespas e cacheadas! 😀

  9. LILIAN RODRIGUES disse:

    Muito legal Márcia ! Eu também o mesmo que você, meus cabelos eram lisos e enorme com guanidina também .
    Mas hoje aderi aos cachos e estou amando cada vez mais meus cabelos. bjuuuuu

  10. Uauuuu que coragem !!!! Tb usei guarnidina por muitos anos, mas como tenho luzes, fiquei quase careca !!!!!
    parabens pela coragem de primeiro abrir mao e segundo tirar todo esse comprimento
    bjkas

  11. Jessica disse:

    Adorei !!! Eu promovi uma mudança ainda mais radical: Cortei todo e deixei apenas 3 dedos de raiz ( cabelo antes estava pelo meio das costas) , lá se vão 2 anos e 2 meses e não me arrependi nem um minuto. Agora já estão um pouco abaixo do ombro. Cada dia os amo mais!! Bjs!!!

    1. Nossa, Jéssica!

      Vc é inspiração MÁXIMA!
      manda foto do seu antes e o seu depois pra gente! Manda por mensagem lá na fanpage do facebook!

      Beijo!

  12. Estou passando por um processo muito difícil com meus cabelos, sem o uso de química devido à um longo histórico de quebra e queda e atualmente só utilizo escova e chapinha… Mas sabe aquela vontade de se libertar de tudo isso? De mudar o visual, sendo linda e natural?!? Confesso que a praticidade que o cabelo “liso” me traz é ótima, mas vou arriscar… Preciso me libertar desse medo bobo de ousar na cabeleira que minha mãe me impôs na infância! Até ela já assumiu os cachos e eu ainda não saí da ignorância :\

    1. Que linda, Dayanne!

      Manda foto pra gente, se vc fizer a transição?
      Tem um monte de gente que também tá precisando dessa força!

      Super beijo!

  13. Nicole disse:

    é piada que vcs acham que ficou melhor enrolado tipo ninho de passarinho né? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk mil vezes melhor antes ….hipocrisia level hard

    1. Nicole, você tem o direito de ter sua opinião, assim como nós, mulheres negras e que não temos o menor problema com o nosso cabelo, temos o direito de ter a nossa. O que, sinceramente não da pra aceitar é a sua ignorância em comparar o nosso cabelo Crespo com “ninho de passarinho”. Não é hipocrisia ser livre. Hipocrisia é se ver obrigada a passar um líquido que conserva gente morta no cabelo pra agradar pessoas como você, que tem a necessidade de nos denegrir e a troço de quê? Absolutamente nada. Repito: você tem o direito de preferir cabelo liso, só não tem o direito de nos agredir. Eu não vou falar novamente, e pra que fique b claro: INJÚRIA RACIAL É CRIME INAFIANÇÁVEL.

      Um conselho pra vida? Se liberte dessa ignorância “level hard” que você carrega. Ser alienado é um mal do século!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s