Meu Diário de Transição – Rachel Vianna

Oi, gente!
Hoje, orgulhosamente, não sou eu quem vai falar. É a Rachel Vianna, grande amiga, de cabelo crespo 4B/4C, e que vai contar semanalmente pra nós como ela tem vivido a transição. Espero que gostem, se inspirem, e que esse diário ajude muitas pessoas.  Pessoas que ainda tem qualquer dúvida na cabeça sobre se conhecer, sobre conhecer o próprio cabelo, spbre conhecer suas características naturais. Simbora?

Olá, meninas. Tudo bão cocêis?

Antes de tudo deixa eu me apresentar. Meu nome é Rachel e escrevo os blogs Sweet Moments (www.rachelviannafotografia.wordpress.com) só sobre fotografia e o Cotidiano (www.minhavidacotidiana.wordpress.com) no qual conto um pouco mais sobre mim, meus gostos e interesses. Passem lá para conhecer meus filhotes. Quando pensei nesse projeto chamei logo a Babi e pedi o apoio dela e disso tudo surgiu a ideia de fazer um diário contando tudo para vocês.

Escrevi esse post especialmente para o blog. É um tag nova sobre um assunto que está super em alta: a transição capilar. Nele vou contar um pouco sobre a minha transição de cabelo quimicamente tratado para natural. A minha fase de transição ainda não acabou e até terminar vou contando como me sinto, como trato meu cabelo, o que uso.

Para contar sobre minha transição preciso antes contar como e por que comecei a usar química. Na verdade eu não lembro muito bem quando comecei a usar química e nem o motivo pelo qual minha mãe optou por isso. Mas acho que foi o caminho natural. Minha avó usava, minha mãe já havia usado, minhas tias usavam, minhas irmãs mais velhas também.

Sempre tive o cabelo muito fino e crespo. Eu lembro que chorava e sentia muita dor na hora de desembaraçar. Naquela época não existia leave in e nem a quantidade de produtos que temos atualmente. Até mesmo xampu e condicionador não era essa fartura. Não tinha um para cabelo liso, para cabelo cacheado, cabelo tingido. Era no máximo para cabelos secos e normais.

Comecei usando trancinhas, aquelas com kanekalon, quando tinha uns 6 anos. Nossa, odiei, chorei, achei horroroso, minha cabeça doía e implorei a minha mãe para tirar. Em seguida comecei a usar pente quente (era um pente de ferro que a gente esquentava no fogão e depois passava no cabelo), pasta, amaciamento, permanente, alisamento até o advento do relaxamento. Esses procedimentos não estão em ordem, por vezes usava dois, três meses um método e mudava para outro. Mesmo com toda a química, aos 10 anos meu cabelo ainda era muito volumoso e eu não conseguia me pentear sozinha.

Os anos foram passando, a adolescência foi a fase mais difícil porque meu cabelo não dava jeito (os hormônios influenciam muito) e eu me sentia muito feia. Durante a faculdade não tive muitos problemas, com exceção dos cortes químicos que tive. Por duas vezes meu cabelo quebrou bastante por conta da química. A primeira vez não foi muito grave, mas a segunda… Levei uns 2 anos para recuperar meu cabelo. Contarei tudo em outro post. A faculdade passou e em muitos momentos nunca havia me sentido tão bonita.

Nos últimos anos, entretanto, não tenho me acertado muito com o meu cabelo. Viva cortando, fazendo luzes, fazendo progressiva, fazendo relaxamento, mas nada me agradava. Esse foi o primeiro sinal para mudar. O segundo foi a alergia ao formol que me fez parar com as progressivas e ficar só com o relaxamento. O terceiro e decisivo, foi uma mudança na minha vida que me impediria de fazer o cabelo com tanta frequência. E assim veio a minha decisão de passar pela transição.

Mas o que é transição capilar? Transição é o período que leva até o cabelo ficar totalmente natural, sem nenhuma química. Essa fase dura o tempo que você quiser que dure, ou pode até não existir. É minha gente, é isso mesmo! A qualquer momento podemos cortar toda a parte com química e exibir nossos cachos naturais por aí.

A minha transição já está durando 6 meses. A previsão inicial era de 12 a 18 meses, mas vai acabar antes disso. Em breve cortarei o que resta da química e passarei a exibir meu blackinho por aí. Claro que vou fazer também um post sobre isso.

Esse post é apenas uma apresentação da tag nova. Semana que vem tem um post falando sobre como foram esses 6 meses de transição, o que aprendi sobre mim mesma e como isso tem influenciado a minha vida. Mas olha, quem está passando por isso ou já passou comenta a experiência.

2013-04-03 14.26.46 2013-04-12 18.43.42

Meninas, nem sempre é fácil. Essa decisão afeta a autoestima, muitas vezes não contamos com o apoio de ninguém. Tem também o fato de lidar com um cabelo que desconhecemos, pois depois de tantas químicas a gente fica sem saber como o nosso cabelo é de verdade. Nesse momento eu acho que meu cabelo é do tipo 4B, mas como uso química pra mais de 20 anos, até sair toda a química e ele se recuperar de fato (às vezes o cabelo só volta ao seu tipo 1 ano depois do fim da transição) cada hora acho que é um tipo. Não há o que fazer, apenas tratar com muito carinho e ter paciência. Domar a ansiedade é a parte mais difícil do processo. É ela que pode colocar a perder o seu objetivo de ser uma black bafônica. Nesses momentos, conversem com alguém de confiança, deixem um comentário aqui no blog, participem de grupos no Facebook. Isso tem me ajudado demais a levar esse projeto até o fim. Pode não parecer, mas esse post está para sair há uns 3 meses, mas nunca escrevi pois pensava em desistir e voltar a usar química e não seria justo com vocês.

Tá vendo? É normal esse turbilhão de sentimentos ao decidirmos assumir nossos crespinhos e cacheadinhos naturais. E aí, quem está comigo? Semana que vem tem mais!

Força na peruca!
Rachel Vianna”

E como ela mesma disse, até semana que vem, meninas!

Todo o carinho,
Babi

 

Anúncios

9 comentários Adicione o seu

  1. Maria Amélia disse:

    Obrigada pela força Raquel.

  2. Vera disse:

    Gostei de ler! Escrevi um post sobre o meu cabelo natural e produtos que gosto! Passem la 🙂
    http://avecveritas.wordpress.com/2013/04/18/lets-talk-curly-hair-part-i-rene-furterer-dove-orofluido/

    1. Rachel Vianna disse:

      Que bom que você gostou do post, Vera. Gostei muito do seu blog. Beijos.

      1. Vera disse:

        Obrigada Rachel. Tambem estou a explorar o teu blog! Beijinhos

  3. Vanessa disse:

    Amei! Parabéns pela decisão, Rachel!

    1. Rachel Vianna disse:

      Obrigada, Vanessa. Não é muito fácil mas estou feliz com essa decisão. Beijos.

  4. Rachel Vianna disse:

    Maria Amélia, que isso, não precisa agradecer. Toda semana estarei aqui e o que você precisar é só chamar. Bárbara e eu ajudamos, ok? Força e não desista! Beijos 😉

  5. Mara Coelho disse:

    Oi meninas! Estou muito feliz por “encontrar” pessoas que estão passando pelo mesmo que eu, isso tem me dado muita força. Estou sem relaxar os cabelos tem 3 meses e confesso que já pensei em voltar atrás, mas nestes momentos, lendo sobre garotas que já passaram ou estão passando por isso, me sinto animada a continuar. Grande beijo!

    1. Rachel Vianna disse:

      Isso aí Mara, não desista. Às vezes a gente desanima, mas só em ver como as meninas que passaram por essa fase estão hoje em dia, nos sentimos motivadas a continuar. A recompensa que é ter o cabelo bonito e saudável nos dá força. Vokte sempre. Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s