As Olimpíadas, os Cabelos Crespos e Mudança Radical em Massa

Oi, gente!

Vamos situar o blog dentro do assunto do momento: Olimpíadas. Ou melhor, vamos fazer polêmica novamente! Rá!

Fui acessar a minha conta de email do yahoo e me deparei com a seguinte notícia: “Em defesa do cabelo de Gabby Douglas” (quer ler? Clica aqui!).

A primeira coisa que me veio à cabeça foi: “lá vem o racismo sambando na nossa cara mais uma vez!”. Mas não… a matéria fala que, apesar da ótima atuação da atleta na Olimpíada, o público anda reclamando do “cabelo desarrumado” de Gabby. E, pasmem os senhores, os comentários na sua maioria vieram dos próprios negros americanos. Bom, como boa libriana, não acho que ninguém está certo, nem que está errado (gente, não fico em cima do muro, juro! É pura análise!).

Por um lado, acho mesmo um pouco exagerado o fato de prestarem atenção no cabelo de uma atleta que teve desempenho brilhante, além de ser a PRIMEIRA negra a ganhar medalha de ouro nessa modalidade. E além disso, vamos combinar a impossibilidade de manter o cabelo INTACTO com aquelas piruetas impossíveis de ser praticadas em, no mínimo, ANOS de experiência? Então, queridos… vamos com um pouquinho mais de calma, por favor!

Por outro lado, excluindo o fator “cabelo desarrumado” da Gabby, uma parte do texto que me chamou muito atenção foi o comentário feito pela Monisha Randolph de que “[…]quando você pratica um esporte, você sua. E quando uma mulher negra que escolheu um penteado mais liso começa a suar, seu cabelo vai, necessariamente, começar a voltar ao modo natural, encaracolado, pixaim“.

QUEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE? PÁRA TU-DO!

Primeiro: A nossa máxima aqui no blog já diz tudo: nosso cabelo é crespo e é lindo! O fato de usar cabelo alisado não faz dele mais ou menos bonito. A beleza de qualquer cabelo está no seu estilo e na sua atitude. E desde quando alguém aí deixou de malhar ou fazer qualquer atividade física porque o cabelo volta ao normal? Gente, vamos aceitar e amar as nossas melenas PELAMODEDEUS? Mas assim, NÍVEL MUNDIAL? Fui só eu que fiquei pasma quando li isso?

Segundo: Lembram quando eu disse aqui que a falta de informação influencia muuuuuuuito em como nós cuidamos do nosso cabelo? A falta de profissionais que saibam e entendam o cabelo crespo também ajuda muito nesse processo. Por isso que digo, que quanto mais a gente trocar experiências, e produtinhos e passo-a-passo, mais o cabelo crespo vai ser respeitado e, principalmente, ADMIRADO. E aí, os próprios profissionais vão começar a prestar mais atenção. Muito mais do que o mercado já faz agora.

Depois de me sentir completamente arrasada com a notícia, no mesmo momento, comecei a pesquisar sobre o assunto e li sobre um movimento, apoiado pelo jornal New York Times, de mulheres que estão deixando de lado as extensões e os tratamentos químicos para assumir seu cabelo natural (quer ler na íntegra? Clica aqui!). A frase mais linda e interessante que li no artigo foi “[…]Não é um movimento rebelde. Elas não falam nada sobre sua motivação em combater essa idéia eurocentrista de beleza. É mais do que isso, é um movimento caracterizado pela auto-descoberta e saúde“. O artigo ainda fala que algumas mulheres fazem a “transição” (como eles tem chamado) silenciosamente, outras porque são influenciadas pela família, e assim por diante. E lá ainda tem um vídeo LIIIIIIIINIMORRÊ de várias mulheres que já fizeram mudança radical no visu!

FALA QUE NÃO É LINDOOOOOOOOOOO!

Gente, como eu já disse antes: nunca estive contra tratamento químico nenhum (até porque, seria muita hipocrisia da minha parte, já que eu faço relaxamento!). O mais importante de TU-DO é entender como é seu cabelo sem química nenhuma… porque muitas vezes, seu cabelo é lindo e você nem sabe (lembra do caso da Duda, minha afilhada?)! Hidratem, tratem o blackão com muito carinho, porque só assim vocês vão descobrir que o nosso cabelo é lindo JUSTAMENTE porque é crespo!

Pra terminar, deixo pra vocês uma música LINDA  da India Aria que fala EXATAMENTE sobre isso:

 

Todo o carinho!

 

Babi

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Amanda disse:

    Nos EUA isso realmente acontece; mulheres não malham pra não ter que fazer o cabelo. Imagina refazer a chapinha 3x por semana? E eu também já vi aqui no Brasil. Não é exagero, é real.
    E outra: Se a gente nasce de cabelo crespo, nosso cabelo é de todo mundo, menos da gente. Só quem nasce de cabelo liso pode dizer: fiz isso no meu cabelo porque foi a minha escolha pessoal. Fosse uma ginasta de cabelo liso o penteado seria chamado de “boho carefree asymmetrical updo”, mas como ela tem cabelo crespo o povo decide que eles que sabem o que é melhor pra ela, e que ela estava é desarrumada. Por isso acho que os comentários foram sim preconceituosos.

    1. Por isso que eu disse, Amanda:
      Nós temos que questionar, perguntar, fazer com que a sociedade e toda a opinião pública entenda e aceite que o cabelo crespo é bonito exatamente como ele é, sem nenhuma transformação. E, se houver alguma, que isso seja feito pela nossa vontade, e não porque obrigatoriamente tenhamos que usar pra parecer mais bonitos!

      Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s