Desbravando os Rótulos

Oi, gente! Como vai a beleza desses crespinhos?

Estava eu, fagueira e serelepe andando pela rua, e uma mulher me perguntou o que eu fazia no meu cabelo. Rapidamente, respondi “é relaxamento!”. E aí que ela me perguntou: Sim, mas qual o componente químico?” Me falou um monte de nome de componentes químicos que mais pareciam um reza de vudú e perguntou: “qual desses?”. Simplesmente fiz cara de interrogação em respondi que não sabia…OI?

Mas como que a pessoa tem um blog e não sabe a composição química dos tratamentos? Tem coisa pior do que ler aquele mooooonte de nome na composição do creminho que você adora e não saber o que é? Ainda mais eu, que vivo e sobrevivo dizendo por aqui pra que, antes de comprar qualquer coisa, olhar o rótulo?! Mas geeeeente! Vamos mudar isso já!

Pra que esse post não fique parecendo uma aula de química (o que seria beeeeeem chato), pesquisei, “googlei” bastante e exemplifiquei o máximo possível. Comecemos?

Nos shampoos e condicionadores, eis os mais comuns:

EDTA – Ácido Etilenodiamino Tetracético. Os cabelos crespos (principalmente os quimicamente tratados) tendem a ser muito porosos, porque a água que lavamos o cabelo tem muitos sais minerais. Esses, por pura ação eletrostática (por causa da carga negativa da queratina contida no fio), se depositam facilmente nos fios. É isso que dá ao nosso cabelo a opacidade e a sensação de “sujo”. O EDTA age justamente nessa parte, “capturando” os metais que se acumulam no fio, sendo totalmente removidos durante o enxágue. Portanto, olho vivo na composição dos shampoos e condicionadores que estão nas prateleiras!

Ácido Cítrico. Outro componente facilmente encontrado nas fórmulas dos shampoos, também atua como “sequestrante” de radicais e também atua no controle do PH.

Metil e Propil Parabeno. São antimicrobianos. Os mais frequentes encontrados em shampoos e condicionadores.

Piridinotionato de Zinco. É o composto químico que atua no combate às Caspas. Sua composição máxima permitida é de 2%.

Hidróxido de amônio, Hidróxido de Sódio e Etanolamina (ou Monoetanolamina): utilizados para aumentar o pH.

Amodimeticone: ajuda no condicionamento de cabelos maltratados, dá maciez ao toque e forma um fio nos cabelos para proteção diária dos fios.

Goma Guar Quaternizada, Proteínas e Aminoácidos Quaternizados e Poliquatérnios: são os chamados ativos quaternizados. Como eles tem carga positiva, são absorvidos rapidamente pelo cabelo, formando um filme de proteção e combatendo a porosidade, aumentando a resistência e elasticidade.

Ciclometicona + Dimeticonol: são formadores de filme que reconstituem o cabelo, dando brilho e maciez.

BHT: antioxidante.

Cloreto de Cetil Trimetil Amônio: proporciona condicionamento e maciez.

Pantenol ou Pró-vitamina B5: são hidratantes produtores de colágeno,  de penetração rápida e profunda por dentro e por fora do fio. Promovem flexibilidade, força, a redução de pontas duplas. Tem ação anti-seborréica, controla os fios rebeldes, o que ajuda na aceleração do crescimento.

Pulo do gato: Os shampoos e condicionadores devem ter, no máximo, até 12 substâncias das descritas. Mais do que isso pode provocar reação alérgica. Fiquem ligadas!

Agora vamos aos tratamentos químicos:

Já falamos nesse assunto anteriormente (não viu? vê aqui!), mas agora vamos um pouquinho mais a fundo.

Todos os tratamentos químicos tem como finalidade mudar a estrutura do cabelo. Pra isso, eles precisam ultrapassar as cutículas e alcançar o córtex, modificando o PH do cabelo o máximo possível – quanto maior é o PH, maior o “afrouxamento’do córtex pra que os ativos químicos penetrem e permitam o alisamento/relaxamento/permanente, ou penetrem e revelem a cor, no caso de tintura. Para finalizar, é feito o processo inverso, ou seja, diminui-se o PH – o que ouvimos chamar por aí de “neutralizadores”. Agora vamos dar nomes aos bois:

Hidróxido de  Sódio: É utilizado tanto no alisamento quanto no relaxamento. O que diferencia um do outro, neste caso, é o tempo de ação do produto. tem PH bem alto (13,0), não apresenta odor forte e não precisa de neutralização. A compatibilidade dele com outros hidróxidos deve ser comprovada avaliando os fios, porque pode causar ardência e até feridas no couro cabeludo.

Tioglicolato de Amônia:  também tem PH bastante alcalino e necessita de neutralização. Apresenta um forte odor de amônia e pode causar irritação à pele. Produz alisamento químico permanente moderado.

Hidróxido de Guanidina: também possui um pH alcalino, sem odor, sendo mais eficiente que o Hidróxido de Sódio e menos agressivo à pele. O Hidróxido de Guanidina é composta por 2 ingredientes: Hidróxido de Cálcio e Carbonato de Guanidina – misturados na hora da aplicação.

Hidróxido de Potássio: é o que mais produz irritabilidade na pele, portanto, qualquer produto que contenha essa substância não deve entrar em contato com a pele. Sua ação é rápida, mas pode causar destruição da fibra capilar (queda de cabelo) instantânea se deixado por período prolongado.

Pulo do gato:

– SEMPRE faça o teste da mecha. Caso não dê certo, não há isco do cabelo ir ralo abaixo!

– Se há químicas anteriores no cabelo, deixe o cabelo “respirar” (fique um tempo sem fazer química para que tenha raiz virgem e saudável suficiente) ou veja se a química anterior é compatível com a química que deseja utilizar.

– Em caso de ferimento, caspa ou qualquer outro problema no couro cabeludo, não aplique nenhuma química até que ele esteja saudável.

– Depois da aplicação, manter o cabelo sempre muito hidratado.

 

E aí? Pingos nos seus exatos Is?

Espero que sim!

 

Todo o carinho,

Babi

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Francine disse:

    Já fui no salão aplicar relaxamento com o cabelo limpo, e isso não foi nada legal, aprendi que devemos ficar 3 dias sem lavar =/

    1. Com certeza, francine!
      Os salões geralmente pedem pra que o cabelo esteja sujo pra não agredir tanto o couro cabeludo, já que quando lavamos o cabelo ele fica bem mais sensível e exposto.

  2. Conceição Figueiredo disse:

    Flor, aproveitando o gancho das suas explicações, tenho uma curiosidade: Keratin amino acids é o mesmo que glyoxiol keratin amino acids? Obrigada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s